segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Padre António Vieira e o «Sermão de Santo António aos Peixes» II

O vídeo divulgado na última publicação é apenas o primeiro de cinco episódios de uma série que passou na RTP2, sob o título geral de Grandes Livros.
Passemos, então, ao episódio dois, que apresenta o percurso de Vieira de Paiaçu (pai grande, para os índios) a diplomata da corte de D. João IV.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

À Conversa com o Padre António Vieira

Uma entrevista na Web com o grande pregador imaginada pelo professor Manuel Maria, que podes ler num sítio de referência, com muita informação útil sobre este e outros conteúdos.
 Clica para acederes ao   Farol das Letras.

sábado, 15 de outubro de 2011

Para rever ou ver

Em andanças, saltos e recuos, descobri esta versão no "Tubes", dobrada em português do Brasil, bem como a sinopse que a acompanha.
É verdade que este filme requer um écran gigante mas, à falta de melhor, aqui fica para reverem ou verem no fim de semana.



Em pleno século XVIII, mais de duzentos anos após a descoberta do Brasil, havendo falta de mão-de-obra, os índios eram caçados e forçados a servir como escravos nas plantações dos colonos Europeus. A Companhia de Jesus, ordem religiosa jesuíta, teria então por missão evangelizar os índios, e, uma vez convertidos à Fé Cristã, os índios estariam a salvo da escravidão. Já no século XVIII, em São Paulo e Minas Gerais, sendo a mão-de-obra escrava ainda muito procurada, e porque muitos índios locais já haviam migrado mais para o Sul, iniciou-se o processo de uso das entradas e bandeiras, incursões na mata de grupos de caçadores de novos escravos, na região das Missões jesuíticas. Aí se deu um confronto histórico, em que as Missões, com centenas de índios catequizados, que já conheciam a música clássica, a escrita, e a Bíblia, viriam a ser capturados eventualmente, em confrontos com os Bandeirantes.

O filme retrata este período - da chegada dos bandeirantes às Missões. E o único apoio às Missões seria agora do Rei de Espanha (pois as Missões eram reduções espanholas). As cortes iluministas da Europa opuseram-se aos ensinamentos e influência da Companhia de Jesus, e é certo que as autoridades portuguesas viam certas vantagens em livrar-se da presença da mão religiosa nesta área, pretendendo escravizar as comunidades índias abrigadas sob a protecção das Missões. O filme culmina quando as coroas Portugal e Espanha, em conluio com o emissário do Papa, e após a celebração do Tratado de Madrid, procedem à exclusão do catequização dos índios, por conta da pressão e da possível supressão da ordem jesuíta acusada de regicídio pelo Marquês de Pombal, ficando estes à mercê dos bandeirantes paulistas, e quando alguns jesuítas permanecem tentando defendê-los.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Quem foi Santo António?


Santo António de Lisboa, internacionalmente conhecido como Santo António de Pádua (Lisboa, 15 de Agosto de 1191-1195 ? - Pádua, 13 de Junho de 1231), de seu nome de batismo Fernando de Bulhões, foi um Doutor da Igreja que viveu na viragem dos séculos XII e XIII.

Para saberes mais, consulta este poste ou lê diretamente o texto «Retalhos da Vida de um Pregador», por Maria Luísa Paiva Boléo, aqui.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

As missões jesuíticas no Brasil

Relacionado com a matéria que estamos a dar e com o filme de ontem, encontrei, entre outros vídeos, este trabalho de História sobre o tema em epígrafe que me pareceu interessante e esclarecedor.
É em português do Brasil, pois os nossos irmãos do outro lado do Atlântico estão bem mais avançados no uso dos recursos tecnológicos e são incomparavelmente mais partilhadores. 
Aqui vo-lo deixo.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Hoje, no auditório

«A Missão», um filme de Roland Joffé com música de Ennio Morricone.

sábado, 8 de outubro de 2011

Ainda o Barroco, em Portugal e no Brasil

Sermão de Santo António
Padre António Vieira - Contextualização

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

O Barroco

Sermão de Santo António
Padre António Vieira - Contextualização

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Memórias da República

Nos meus anos de estudante da primária e secundária, os anos letivos começavam sempre a seguir ao feriado do 5 de outubro. Eram mais umas semanitas de férias... sortudos que fomos! Ai que saudades...

Para recordarem esta senhora vetusta, que já conta 101 anos, vejam com atenção esta apresentação. Bom FERIADO!

FERIADO!!!!!

Já era mais que tempo de animar este nosso espaço virtual, não acham?

Imagem da net

Pois nem mais, aproveitei a manhã cálida do feriado de 5 de outubro para reabrir as portas, sacudir a poeira,... arejar a casita e prepará-la para os postes deste novo ano. Sim, que professor (é quase como militar) não dorme: varia de atividade!

Bom ano para todos, com muitos sucessos escolares, na avaliação contínua e nos exames, e muitos postes e comentários aqui no blogue.

VA LÁ "TÃO"!